S.O.S. Vida Profissional – 11 Sinais de Atenção
28 de maio de 2018
Você está preparada para o AMOR?
7 de junho de 2018
Exibir tudo

O Segredo que a História revela sobre o Amor

Free Photo by Pixabay

É curioso conhecer a história do amor e seus segredos. O amor tem várias faces: paixão, amizade, etc. Mas você sabia que o amor romântico nem sempre existiu? A História da Evolução Humana revela um segredo: o romance é uma face do amor espantosamente nova. Veja abaixo alguns segredos do amor sob a perspectiva evolutiva!

A História do amor e seus segredos?

Em primeiro lugar, sabe aquela sensação deliciosa e inexplicável que sentimos quando estamos apaixonadas? Ela é resultado de inundação de endorfina, também conhecida como “hormônio do prazer”, entre outros hormônios. Essa reação fisiológica tem sido transmitida há muitas gerações para preparar nossos instintos para a realização de uma meta: a continuação da nossa espécie.

O amor nos tempos das cavernas !

Naquele tempo não havia conforto e todo dia era preciso caçar e lutar pela sobrevivência. Imediatamente entendemos: não havia tempo para romance mesmo!

Segundo Natalie Rivera, socióloga e coach motivacional, é possível entender a origem da sensação de “estar apaixonado”  estudando o comportamento humano lá nos primórdios.

Quando estamos apaixonados não queremos ficar longe da pessoa querida, certo?  Naquele tempo não era diferente! A mulher precisava da proteção do homem para poder alimentar e criar seus filhos. O homem por sua vez, queria estar por perto para certificar-se da perpetuação de seus genes.

Portanto, esse lance de desejar intensamente estar por perto não tem nada a ver com monogamia. Lembra da inundação de hormônios? Esta reação química, também constituída por dopamina (hormônio do bem-estar) e noradrenalina (energia para lutar, fugir e  bem-estar), sempre esteve programada para durar entre 6 meses a 3 anos – tempo suficiente para garantir que o bebê tenha condições de sobreviver. Passado este tempo, homem e mulher partiam em busca de novos parceiros e uma prole ainda melhor adaptada.

Então o instinto alimenta a “paixão” ?

Sim. Outro exemplo de processo instintivo e biológico é a experiência olfativa. O odor produzido pelo corpo sempre foi um fator importante para a atração sexual. Atualmente, inclusive, usamos diversos artifícios aromáticos para acender a paixão, certo?

E o que dizer das lutas e provas de supremacia? As mulheres buscavam homens capazes de trazer a maior quantidade de alimento pra caverna e de proteger o clã.  Atualmente o interesse migrou do melhor caçador para o melhor provedor, mas o instinto está aí!

6 meses a 3 anos – o amor tem dias contados ?

O que fazer quando aquela inundação hormonal programada estiver acabando ?

Calma ! É possível fazer muitas coisas para tornar aquela sensação mais duradoura. Aliás, pode ficar melhor !

Hoje utilizamos técnicas para modificar mindsets e padrões mentais – e isso é bem mais fácil de implementar sem as distrações e tensões geradas pelos hormônios.

Outro segredo revelado pela História e que permite que o amor perdure é a evolução neurólogica.  Registros indicam que foi apenas na Renascença que o ROMANCE surgiu como uma forma diferente de “amor” – não mais puramente instintiva, mas envolvida por emoções, abstrações e outras complexidades.

Portanto , o cérebro evoluiu e com esta evolução surgiu esta outra face do amor: o amor verdadeiro.

E mais uma vez constatamos que a nossa MENTE  é valiosa !

Não é surpreendente poder reprogramar a mente para amar com mais intensidade?

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *