A Terapia Cognitivo Comportamental é o tratamento indicado para mim?

Reprogramação mental para que?
1 de agosto de 2015
Regressão como ferramenta terapêutica ?
30 de janeiro de 2016
Exibir tudo

A Terapia Cognitivo Comportamental é o tratamento indicado para mim?

Royalty-free stock photo

O tratamento que utiliza a TCC, ou Terapia Cognitivo Comportamental, é uma abordagem de psicoterapia breve, focada, estratégica e bem prática.

Certamente, ao longo das nossas vidas, a forma como lidamos com nossas experiências dá origem às nossas “crenças” e,  com elas, nossos “pensamentos automáticos” sobre as pessoas e o mundo.

Por exemplo, às vezes, nos encontramos em uma situação que aciona pensamentos automáticos que prevêem perigo ou falta de controle em excesso. Por isso, imediatamente somos tomadas pela ansiedade.

Outras vezes, não percebemos que nossos pensamentos estão apenas centrados em desesperança, baixa autoestima ou fracasso. Consequentemente, quando nos damos conta, já estamos atoladas em uma forte depressão.

Qual é o foco deste tipo de terapia?

O objetivo da Terapia Cognitivo Comportamental é ajudar o paciente a detectar e modificar pensamentos associados a desconfortos emocionais.

Eventualmente, uma vez alterado o pensamento, suas atitudes e seus comportamentos perante aquela situação também serão diferentes.

É como aprender a pensar sobre o pensamento automático que está gerando sofrimento e angústia e, a partir desta reflexão, desenvolver novas formas de pensar e treinar atitudes mais assertivas para solucionar o problema.

Para quem este tratamento é indicado?

Esta abordagem psicoterápica promove resultados muito positivos para casos de:

  • ansiedade
  • depressão,
  • desesperança,
  • insônia,
  • abuso de substancias
  • mudança de seu estilo de vida uma vez que auxilia na construção de hábitos mais saudáveis e pensamentos mais “funcionais”.

Quais são as característica principais do tratamento com Terapia Cognitivo Comportamental?

  • é centrada em um foco ou objetivo específico;
  • geralmente o processo demanda de 10 a 20 sessões;
  • o terapeuta tem papel ativo: questiona, e ajuda o paciente a explorar o “pensamento” e revelar oportunidades de transformação;
  • o engajamento é essencial para se obter o resultado esperado: haverá muita reflexão, exercícios, e tarefas para serem feitas fora do consultório.

A disposição do paciente para reaprender é crucial para que a reestruturação cognitiva. Portanto, para aprender a pensar e fazer diferente, e consequentemente ser mais feliz, o paciente precisará se dedicar de verdade.

Se você sente que é hora de mudar algum comportamento ou desenvolver novas atitudes este tipo de terapia pode ser muito interessante para você.

Entre em contato comigo para entender melhor como esta terapia irá transformar sua vida – basta clicar aqui.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *